Search

Como acabar com o jogo do vitimismo? // How to stop playing the victim game?

Updated: Mar 17, 2019


Scroll down for English version. 


O que é o vitimismo e como evitar o papel de vítima?


Ao perceber que as vezes reclamo de coisas ridículas, outras coisas ao meu redor me influenciaram a questionar sobre reclamar constantemente. Um exemplo comum: acordou e ta chovendo, a pessoa reclama que a chuva atrapalhou o dia todo. E quando ta um solzão, reclama que tá muito quente, affff... Pesquisei e li muito sobre o assunto nos últimos dias, refleti e compreendi que o habito de reclamar acaba por nos levar ao vitimismo. E faz sentido, quer ver?


Reclamar de coisas bobas, como esse exemplo do dia chuvoso ou ensolarado, todos fazemos isso, inevitavelmente. Mas se essas pequenas reclamações viram nossa regra, passam a ser mais serias, pois colocamos nosso foco naquilo de que reclamamos e nos reafirmamos como vítima dos fatos. Essa espiral não tem limites. Uma pessoa com o hábito do vitimismo, tende a se tornar uma pessoa pessimista. Para o vitimista, tudo o que acontece é visto de maneira distorcida e problemática. O vitimismo gera "um certo conforto", ao dizer que as coisas não dão certo na vida, ao transferir a culpa a terceiros ou à situações alheias às suas próprias vontades. Eu teria muitos exemplos alheios que talvez pudessem acrescentar aqui, pois percebo que o vitimismo "esta em alta", mas resolvi falar somente do meu caso.


O meu exemplo seria culpar a Epilepsia, me fazendo de vitima e "coitadinha", desabonada pela condição me impede de fazer coisas e (na visão de vítima) me prejudica na tarefa de ser feliz. Mesmo com ajuda de terapia e de todo apoio de meus pais, familiares e amigos, eu sempre encontrava uma maneira de me limitar pela condição de portadora de epilepsia. Decidi vigiar e mudar meus pensamentos há um tempo atras, pouquíssimo tempo, sendo bem sincera.

Muitas vezes me pego reclamando, mas sigo me policiando e tenho certeza que estou no caminho de "cura". Cura da reclamação e vitimização, porque epilepsia nao tem cura, esta é a realidade.


É importante sabermos a realidade das nossas vidas, tem coisas que nao mudam, independentemente da nossa vontade, esforço ou determinação. Às vezes as situações são realmente difíceis, e ter epilepsia é uma MERDA. Por mais que eu tome remédios, e faca tudo que esta ao meu alcance, nao estou livre de ter uma convulsão a qualquer momento.


Então o que eu resolvi fazer?

Nao reclamar, nao me colocar no papel de vitima e parar de me questionar "por que eu?". Me dei conta que tenho MUITA sorte em fazer parte dos 70% dos pacientes de epilepsia que conseguem controlar crises com medicação. Desta forma, racionalmente troco a reclamação por gratidão.


Durante minha pesquisa sobre tudo isso, resumi em 4 passos o meu caminho de como sair do vitimismo:


#1 Reconhecer o vitimismo

A primeira coisa para entender como deixar de ser vítima, é compreender que situações difíceis acontecem na vida de qualquer pessoa. Tu vais precisar uma boa dose de honestidade e aceitação. A partir do momento do reconhecimento, começa a volta por cima. A pessoa que vive essa vitimização, esta em um momento difícil, mas quando alguém aparece com uma solução, fica irritada, pois ela não busca uma solução (não de maneira consciente), mas sim que todos a reconheçam como “coitadinha” e concordem que ninguém no mundo sofre mais que ela. O vitimista precisa entender que não é O ESCOLHIDO para sofrer e nem é a pessoa com o pior karma do mundo. As circunstâncias sempre existirão e cabe a cada pessoa encontrar maneiras de tirar suas lições e seguir em frente. No meu caso, quando eu "acordo" de uma crise, pois eu perco a consciência, vejo as pessoas com olhares aterrorizados, ou com pena, é horrível. O que seria mais fácil? Estimular essa reação e me fazer de vitima. Qual a minha solução? Comunicar e desmistificar a realidade da minha doença e não desejar a piedade alheia.. bola pra frente!


#2 Assumir a responsabilidade, e parar de terceirizar a culpa.

Tentar culpar terceiros e situações da vida - e eu ja fiz muito disso! - não adianta nada. Muitas vezes é inconsciente, muito mais fácil culpar outra pessoa ou circunstância para não ter que assumir que cometeu um erro ou que não se esforçou o suficiente para obter resultados. Um exemplo: “na minha infância isso ou aquilo aconteceu e daí provém o meu trauma”. Ok. Realmente, as situações vividas na infância influenciam muito e todos carregamos algum trauma. Porém na fase adulta, temos que compreender as circunstâncias do ocorrido, passar por cima e tomar o controle da situação. Afinal, se tiveres um filho, não podes deixar que este trauma ou situações da tua propria infância influenciem na criação, educação e no desenvolvimento do teu filho. Vais ter que mudar o teu pensamento, colocar um ponto final no assunto e seguir em frente.


#3 – Protagonismo é a cura

Como deixar de ser vítima se o vitimismo funciona tão bem como desculpa? Fácil! Basta compreender que a força vem do protagonismo. Tomar as rédeas da própria vida. Como eu disse ali no passo #2, assumir a responsabilidade da tua própria vida vai proporcionar a liberdade, consequentemente terás menos desgaste emocional e físico, abrindo portas para o novo futuro. Quando tu es dono da própria vida e mais fácil ter pensamentos positivos e tirar boas experiências das piores circunstâncias possíveis. Como tudo é uma questão de hábito, os pensamentos positivos também podem ser trabalhados diariamente até que se tornem naturais.


#4 - Exercitar a gratidão.

Deixando de lado os modismos, existe um mecanismo bem simples de reavaliar cada fator da sua vida que traga alegria e contentamento. Assim como existe o esforço de tirar o foco daquilo que incomoda, existe a prática de usar esse foco a nosso favor, realçando cada parte positiva do dia a dia e criando verdadeiro bem estar.



Seria hipocrisia minha dizer que sou super bem resolvida, evoluída e madura com a epilepsia e tudo mais na vida. Será que um dia seremos 100% mauduros? Acho que isso nem existe, estamos em constante evolução.


Mas tenho certeza que eu estou mais perto de um movimento de desvitimização e evolução. Acredito que pra todos a maior conquista é saber extrair de cada momento complicado, ruim e triste, uma lição positiva.


As adversidades fazem parte do trajeto do ser humano, e talvez a sabedoria de como deixar de ser vítima pode ser a solução para muitos problemas. O meu exemplo é a epilepsia. Qual seria o teu exemplo?


“A dor é inevitável mas o sofrimento é opcional.” – Buda


E ai, que tu achou?

Concorda, discorda?

Adoraria saber a tua opinião.


Rafaela





Metamorphosis has always been the greatest symbol of change for poets and artists. Imagine that you could be a caterpillar one moment and a butterfly the next. // A metamorfose sempre foi o maior símbolo de mudança para poetas e artistas. Imagine que você poderia ser uma lagarta em um momento e uma borboleta no outro.

What is Victimism and How to Avoid Victim's Role?


That's what I questioned myself when I realized that sometimes I complain about ridiculous stuff, and other things around me influenced me to question about this constantly complaining habit. A common example: wake up and it's raining, complains that the rain wll ruin the day. And when the sky is blue, complains that it is too hot, OMG! I researched, read a lot about it and got into the conclusion that the habit of complaining take us to victimism, makes sense, don't you see?


Complaining about silly things, like the rainy or sunny day, its common, we all do that. However the problem is when complaining about those silly things becomes an habit, then complaining about serious stuff comes along. Thing is: we start focusing in our complains, then we reaffirm our victim role. Its like a cycle. A person with the habit of victimism sometimes becomes a negative person. For the victimizer, everything that happens is seen in a distorted and difficult way. The victimization releases comfort, so unconsciously turns into a conform zone. Things do not work in life, then blame others or situations beyond their power.


I would have many examples, which might bring a lot of discussion here, let's say that nowadays a bunch of people are adopting this victim role, so I decided to skip that, and talk exclusively about my case.


My example would be blaming Epilepsy, and play the victim roll, after all this condition stops me from doing things, and from being happy (this would be the victim point of view). Even with the therapy and support of my parents, family, and friends, I always found a way to limit myself to epilepsy. I decided to watch and change my thoughts a while ago. Its so important to know the reality of our lives, there are things that do not change, regardless of our effort or determination. Sometimes the situations are really difficult, and having epilepsy is real SHIT. I can take my meds and do everything in my power, however I can have a seizure at any time. Its kinda out of my control.


So what did I decide to do?

Instead of complaining, and keep asking myself "why me?", I realized that I am VERY lucky to have epilepsy and to be part of 70% of the patients that can manage seizures with medication. I shifted my complains and negativity, and turned into gratitude.


During my research, I summarized in 4 steps my way of getting rid of victimhood:


 # 1 Recognize Victimism

The first thing to understand, is that everyone has difficult situations in their life. You will need a fair amount of honesty and acceptance. When acceptance starts, things begins to get better. The person who plays the victim role, is in a difficult moment, and when someone comes up with a solution, she doesn't like it, because she doesn't seek a solution (not consciously), but rather that everyone recognizes as a "poor thing" and agrees that no one in the world suffers more than her. The "victim" must understand that she is NOT THE CHOSEN ONE to suffer and is not the person with the worst karma in the world. Circumstances will always exist and it is up to each of us to find ways to take lessons and move on. In my case, when I "wake up" after a seizure, as I loose conscious, I see people with terrified eyes, and feeling bad for me, it's terrible. Wouldn't be easier to take advantage of these reactions and play the victim role? What is my solution? Communicate and demystify the reality of my illness.  


# 2 Take responsibility, and stop outsourcing the blame.

Try to blame others or life situations, I've done that before, and it doesn't work out. Most of the times that happens unconsciously, It's much easier to blame another person or circumstance, then admit that you made a mistake or did not try hard enough to get results. An example: "In my childhood this or that happened and then comes my trauma". Okay. Actually, the situations experienced in childhood influence a lot, and we all carry come kind of trauma. But in adulthood, we have to understand and get rid of these circumstances and take control of the situation. After all, if you have a child, you can't let this trauma and situations of your own childhood influence the education and development of your child. You will have to change your mindset, and move on.


# 3 - Leadership is the cure

How to stop playing the victim, if victimism works well? Easy! Just understand that you are your leader, thats where strength will come from. Take control of life itself. As I said in step # 2, first take responsibility for your own life, this will provide freedom, consequently you will feel relieved emotionally and physically, this will bring you to the new future. When you have your life under control it is easier to have positive thoughts and to take lessons from the worst possible circumstances. Since everything is a matter of habit, positive thoughts can also be worked on the daily basis until everything becomes natural.


# 4 - Exercise gratitude.

There is a very simple mechanism to re-evaluate different things of your life that brings joy and contentment. Just as there is the effort to focus on what bothers you, there is the practice of using that focus in our favor, highlighting every positive part of everyday life and creating true well-being.


I would be lying if I stated I got rid of all this negative thoughts and that I'm ok with epilepsy and everything else in life. Will we ever be 100% full-growth? I think this does not even exist, we are constantly reinventing ourselves.


But I'm sure I'm closer to heal myself and grow. I believe that the greatest achievement is knowing how to extract from each bad moment a positive lesson.


Adversities are part of the path of the human being, and perhaps the wisdom of how to stop being a victim can be the solution to many problems.


My example is epilepsy. What would be your example?


So what do you think? Do you agree or disagree?

I'd love to know your thoughts.


"Pain is inevitable but suffering is optional." - Buddha


Rafaela

121 views

© 2023 by Proudly created with Wix.com