Search

Planning pregnancy & Epilepsy

Updated: Feb 26, 2019


Em portugues la embaixo


I will divide the pregnancy story, in 3 parts, its lots to tell.


PART 1 - PLANNING PREGNANCY


Its important to plan pregnancy if you have epilepsy, lots of things should / will change. You gotta be ready.


We planned about getting pregnant in January 2017, but everything starts before that. I started taking folic acid because lowers the chance of having a baby with a neural tube defect (everyone should take folic acid with their prenatal multi vitamins anyways). The epilepsy medication I was taking before 2017 was DepakoteER (divalproex sodium) which is "prohibeted" during pregnancy, because this medication has a high risk for serious birth defects. These defects occur in 2 out of every 100 babies born, very high number! Fortunately, most women ( and I include myself on these women) with epilepsy give birth to normal, healthy babies, if you take precautions, your chance of having a healthy child is greater than 90%. Regarding medication during pregnancy, I was in Lamotrigine, but you should research, explore and discuss that WITH YOUR DOCTOR. We all know medication have side effects and you never know how your body will react, plus you don't know if you will respond well to a new medication. Take this decision WITH YOUR DOCTOR. There are increased risks, obviously, but even if you don't have epilepsy there are risks. You're not the problem, AND AGAIN: EPILEPSY DOESN'T DEFINE YOU. Since the beginning I was working closely with my neurologist and obstetrician, I highly recommend that. Most doctors recommend that women with epilepsy be cared for by a high-risk obstetrician during their pregnancy.


So I found out in August 2017 I was expecting my first child, and I was exited, very very happy, but scared at the same time. As I always say, I have a condition, but I am not defined by it. Pregnancy is hard itself, add epilepsy into and you have a bomb ready to explode. The first 3 months I was so tired, I mean, ALL THE TIME, got very nauseated, however this stuff happens with most pregnant woman.


Pregnancy is a fairly scary thing as it is, especially when is your first, you're entering the great unknown world. I had all the normal concerns about being a Mommy and how it would change my life. Forever. There is also very little information out there generally for pregnant women with epilepsy which just made me feel incredibly lonely and even more frightened.


Mostly though I was so excited about becoming a Mommy! Huge excitement of looking forward to the first time I held my baby. He arrived safely in March 2018. And I will do it all again, because we want a second baby. So if you are pregnant and have epilepsy, just be precocious, take care every single day, sleep a lot, take your meds, enjoy, be happy, because you are about to become a Mommy!


Labor will come in part 2


See you soon,


Rafaela









É importante planejar a gravidez se você tiver epilepsia, muitas coisas vao mudar. Você tem que estar pronta pra tudo.


Nós planejamos engravidar em janeiro de 2017, mas tudo começou antes disso. Comecei a tomar ácido fólico porque reduz a chance de ter um bebê com defeito no tubo neural (todas devem tomar ácido fólico com suas multi vitaminas pré-natais de qualquer maneira). O medicamento para epilepsia que eu estava tomando antes de 2017 era o DepakoteER (divalproato de sódio) que é "proibido" durante a gravidez, porque esse medicamento tem um alto risco de defeitos congênitos graves. Esses defeitos ocorrem em 2 de cada 100 bebês nascidos, um número super alto! Felizmente, a maioria das mulheres (e eu me incluo nessas mulheres) com epilepsia tem bebês normais e saudáveis, se você tomar as devidas precauções, sua chance de ter uma criança saudável é maior que 90%. Em relação à medicação durante a gravidez, eu estava tomando Lamotrigina, mas você deve pesquisar, explorar e discutir isso COM SEU MÉDICO. Nós todos sabemos que a medicação tem efeitos colaterais e você nunca sabe como seu corpo vai reagir, além disso você não sabe se o novo medicamento vai tratar as crises. Tome esta decisão COM O SEU MEDICO. Existe riscos maiores quando uma gravida tem epilepia, obviamente, mas mesmo se você não tiver epilepsia, há riscos. Você não é o problema, E NOVAMENTE: A EPILEPSIA NÃO DEFINE VOCÊ. Desde o começo eu estava trabalhando de perto com meu neurologista e obstetra, eu SUPER recomendo isso. A maioria dos médicos recomenda que as mulheres com epilepsia sejam cuidadas por um obstetra de alto risco durante a gravidez.


Então eu descobri que em agosto de 2017 eu estava esperando meu primeiro filho, e eu estava muito muito feliz, mas com medo ao mesmo tempo. Como sempre digo, tenho uma condição, mas não sou definida por ela. A gravidez é difícil, adicione epilepsia e você tem uma bomba pronta para explodir. Nos primeiros 3 meses eu estava tão cansada, TODO O TEMPO, fiquei muito nauseada, porém isso acontece com a maioria das gestantes.


Naturalmente gravidez é uma coisa bastante assustadora, especialmente quando é sua primeira gestacao. Você está entrando num grande mundo desconhecido. Eu tinha todas as preocupações, as normais que toda gestante tem, e aquela incerteza de como isso iria mudaria minha vida. Para sempre. Também há pouquissima informação disponível para mulheres grávidas com epilepsia, o que me fez sentir incrivelmente sozinha e ainda mais assustada.


Fora tudo isso, eu estava tão animada em me tornar uma mamãe! Uma enorme excitação, super ansiosa de segurar meu bebê pela primeira vez. Ele chegou com muita saude em março de 2018. E com certeza vou fazer tudo de novo, porque queremos um segundo bebê. Então, se você está grávida e tem epilepsia, tenha as devidas precauçoes redobradas, tome cuidado todos os dias, durma muito, tome seus remédios, MAS aproveite, seja feliz, porque você está prestes a se tornar uma mamãe!


A historia do parto virá na parte 2


Te vejo em breve,


Rafaela



169 views

© 2023 by Proudly created with Wix.com