Search

Pregnancy Part 2


La embaixo a versao em portugues


Most women with epilepsy can have a vaginal delivery, without complications. I had a vaginal delivery, and everything went perfect, despite the pain right? OMG, that was hard. I felt very strong about having a vaginal birth, plus my family and both my OB and neurologist were very supportive. Discuss different options with everyone, maybe my experience won't be like yours. I had to induce my labour, I started dilating with 39 weeks, and kept 2cm until going to the hospital March 25th, by then I was 40 weeks. I went to the hospital at 6am, did all the boring paper work, then around 8 or 9 am, don't remember exactly, was given at first prostaglandin but didn't work well. Then I was giving oxytocin, to stimulate dilatation and contractions. I had oxytocin through an IV, the drug is started in a small dose and then increased until labor is progressing well. My OB broke my water, I really wanted that thing where your water breaks at home, then you have to rush to the hospital, I thought about that situation every single day. If you are considered to be at risk of having seizures during or after your delivery, because of all the stress during labour, you must receive a one-to-one care from a doctor (I'm not a doctor but I had that concern). It’s also to make sure that facilities are available if you or your baby need emergency treatment. For sure they will ask about when you last had seizures, and whether you are still taking epilepsy medicines, and which medication. I had lamotrigine during all stages of pregnancy, since the beginning, and nowadays I still have same medication.

My suggestions for lowering your risks of having seizures during labour (again, im not the doctor, I'm just telling my story). Make sure you have your own epilepsy medicine with you, and set up a reminder system to take it at the usual time. I was in labor for 16 hours and during that time I had to take my meds, and that was ok. I got in the hospital at 6am and delivered March 26th right after midnight. Ask the doctor and nurses, everything, I mean, everything. Don't keep your thoughts. Know your seizure triggers such as tiredness and stress, or whatever your triggers are. I haven't slept the day before. But when you're 40 weeks you don't have a good night sleep anyways, with that huge belly. I obviously told the doctor I haven't slept the night before. Make sure you have as much support you need to avoid seizures. Tell every small detail to the doctors and nurses, even the ones you feel are unnecessary.


PAIN RELIEF DURING LABOUR?

I don't know much details, I'm not a doctor, I already said that right? Discuss that with your doctor. However I know there are different options for pain relief during labour. I had an epidural, which can be given to women with epilepsy. Basically epidural anesthesia is a regional anesthesia that blocks pain in a particular region of the body. The goal of an epidural is to provide analgesia, or pain relief, rather than anesthesia, which leads to total lack of feeling. Epidurals block the nerve impulses from the lower spinal segments.


WHAT ABOUT BREASTFEED?

My doctors said it was fine, I could breastfeed, however I didn't, because I didn't had milk. If sleep deprivation is a problem, (and most of the time is) it may be helpful to express the breast milk to allow others to help with feeding. Most AEDs (antiepileptic drugs) pass into breast milk, but the concentration is usually low, they said lower that during pregnancy.


How might epilepsy affect my baby and me after birth?

Caring for your baby postpartum can be a concern for moms with epilepsy. Simple strategies like bathing baby with other adults around, I never bathed him when I was alone. If I had to, I would clean him with wipes or a sponge bath instead, which can reduce the risk of injury to your little one if you do happen to have a seizure.


To help other moms with epilepsy, I registered with the Antiepileptic Drug Pregnancy Registry. Their goal is to determine which therapies are associated with an increased risk to pregnant moms. I did that.


As long as you stay in close contact with all your doctors while you're expecting and follow these tips and the advice of your practitioners on how best to manage your condition, your chances of having a healthy pregnancy and baby are huge.


My advice: listen to your body, always.






A maioria das mulheres com epilepsia pode ter parto normal, sem maiores complicações. Eu tive parto normal, e tudo correu perfeitamente bem, apesar da dor né? SEM-OR, isso foi f**a. Eu queria muito e estava muito segura para ter parto normal, além disso minha família e tanto a minha obstetra quanto o neurologista me deram muito apoio. Vejam as diferentes opções com seus medicos, talvez a minha experiência não seja como a sua. Eu tive que induzir meu trabalho de parto, comecei a dilatar com 39 semanas, e fiquei 2cm até ir para o hospital no dia 25 de março, quando estava com 40 semanas. Fui ao hospital às 6 da manhã, fiz toda coisa chata e burocratica, então por volta das 8 ou 9 da manhã, não me lembro exatamente, primeiro me deram uma dose de prostaglandina, mas não funcionou. Então me deram oxitocina. A oxitocina que muitos conhecem como “hormônio do amor”, é importantíssima para o corpo humano. Ela é fundamental durante o trabalho de parto, assim como na amamentacao. Produzida pela hipófise (uma glândula localizada no cérebro), a oxitocina é responsável por ajudar nas contracoes uterinas e também atua na liberacao do leite materno. Eu recebi oxitocina intravenosa , no inicio uma pequena dose e, em seguida, aumentaram a dose. Minha obstetra rompeu minha bolsa. O que eu realmente queria e aquela coisa que a bolsa rompe em casa, agua por tudo, e então você tem que correr para o hospital, eu pensei sobre essa situação todos os dias. Mas as coisas nao acontecem como a gente quer ne!? Se você é considerada em gravidez de risco, e risco de ter convulsões durante ou após o parto, por causa de todo o estresse durante o trabalho de parto, você deve receber um atendimento mais especial, eu diria, com mais atencao de um médico (DE NOVO - não sou médica, mas EU tive essa preocupação ). É importante para garantir que tenha disponíveis, se você ou seu bebê precisarem, tratamentos de emergência. Com certeza eles vão perguntar quando você teve convulsões pela última vez, e se você ainda está tomando medicamentos para epilepsia e quais medicamentos. Eu tomei lamotrigina durante todos os estágios da gravidez, desde o início, e hoje ainda tenho a mesma medicação. Minhas sugestões para diminuir os riscos de ter convulsões durante o trabalho de parto (novamente, não sou o MEDICA, estou apenas contando minha história). Leva teu remedio e de repente tenha um sistema de lembretes para tomar no horário habitual. Eu estava em trabalho de parto por 16 horas e durante esse tempo eu tive que tomar meus remédios, e tomei, nao iria afetar em nada aquele momento. Entrei no hospital às 6h da manha do dia 25 de marco e 26 de março logo depois da meia-noite meu novo amor estava nos meus bracos. Seguinte, minha dica: Pergunte ao médico e às enfermeiras tudo, tudo MESMO. Não fique quieta, nao guarde suas duvidas. Conheça seus gatilhos de convulsões, como privacao de sono, cansaço e estresse, ou quaisquer que sejam seus gatilhos. Eu não dormi no dia anterior. Mas quando você esta com 40 semanas você não tem uma boa noite de sono de qualquer maneira, com aquele barrigao. Eu obviamente disse ao médico, que não dormi na noite anterior. Certifique-se de ter todo o suporte necessário para evitar convulsões. Diga todos os pequenos detalhes para os médicos e enfermeiros, mesmo aqueles que você sente desnecessários.


E a anestesia?

Meus medicos disseram que a mulher com epilepsia pode ter anestesia durante o trabalho de parto. Não sei de maiores detalhes, não sou médica, discuta isso com o seu médico. No entanto, sei que existem diferentes opções para o alívio da dor durante o parto. Eu tive peridural, que pode ser dada a mulheres com epilepsia. Basicamente, a anestesia peridural é uma anestesia regional que bloqueia a dor em uma determinada região do corpo. O objetivo de uma epidural é fornecer analgesia, ou alívio da dor, ao invés de anestesia, o que leva à total falta de sensibilidade. As peridurais bloqueiam os impulsos nervosos dos segmentos inferiores da coluna.


E a amamentacao?

Meus médicos disseram que eu poderia amamentar, infelizmente não tive leite, e nao amamentei. Como a privacao de sono e um problema para quem tem eilepsia, este era sem duvida o meu maior medo, dormir pouco. A maioria dos DAEs (drogas antiepilépticas) passam para o leite materno, mas a concentração é geralmente bem baixa, meu medicos disseram que durante a gravidez a concentrcao e maior.


Como a epilepsia me afetou e ao meu bebê depois do nascimento?

Cuidar do Thomas no pós-parto foi uma preocupação constante. Estratégias simples: como dar banho no bebê com outras pessoas ao redor Eu nunca dei banho nele quando estava sozinha! Se eu tivesse que dar banho, e nao tinha ninguem em casa, eu "dei banho" com lenço umidecido ou um paninho. ( aquele banho meia boca hahaha) A questao toda e que isso reduz o risco, se acontecer de você ter uma convulsao.


Para ajudar outras mães com epilepsia, registrei-me no Registro Antiepiléptico de Gravidez de Drogas, aqui nos Estados Unidos, nao sei se tem isso no Brasil. O objetivo é determinar quais terapias estão associadas a um risco aumentado para mães grávidas. Eu fiz isso, espero que eu possa ajudar alguem.


Contanto que você fique em contato próximo com todos os seus médicos enquanto estiver gravida e administrar melhor sua condição, suas chances de ter uma gravidez saudável e o bebê são enormes.


Meu conselho: escute seu corpo, sempre.


Rafaela

92 views

© 2023 by Proudly created with Wix.com